terça-feira, 29 de novembro de 2016

Chegada do Boeing 767 300ER



O trem de pouso do FAB 2900, o Boeing 767 300ER que foi alugado pela Força Aérea Brasileira, tocou o solo do Brasil, pela primeira vez, às 8h25min deste domingo (10/07). A aeronave chegou à Base Aérea do Galeão (BAGL), no Rio de Janeiro (RJ), e já está no hangar do Esquadrão Corsário (2º/2º GT), que vai operá-la. Ao chegar à cidade, o Boeing 767 foi interceptado por dois caças F-5 do 1º Grupo de Aviação de Caça.

O contrato de locação do avião tem duração de três anos, prorrogável por mais um. O documento foi assinado há um mês em Washington DC e anunciado pelo Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, durante a comemoração do Dia da Aviação de Transporte. Segundo ele, a FAB estava com necessidade de uma aeronave que suprisse necessidades de transporte estratégico. Por isso, "alugar o Boeing 767 300ER foi uma opção extremamente viável e usada internacionalmente".
O Comandante do Esquadrão Corsário, Tenente-Coronel Luiz Eduardo Ferreira da Silva, reuniu todo o seu efetivo para o recebimento da aeronave, que retomará o caráter operacional da unidade. "Estamos aptos novamente a realizar missões de ajuda humanitária, missões diplomáticas e de transporte aerologístico por todos os continentes do nosso planeta". O Esquadrão Corsário, que ficou três anos sem voar, por conta da desativação do Boeing 707, em outubro de 2013, comemorou a chegada do cargueiro.
A solenidade de recebimento da aeronave contou com a presença do Comandante da Aeronáutica e do Comandante-Geral de Operações Aéreas, Tenente-Brigadeiro do Ar Gerson Nogueira Machado de Oliveira.

Primeira tripulação - A bordo do 767, vieram cinco militares da FAB, que estavam desde 1º de julho na cidade de San Bernardino, na Califórnia.   O voo foi direto e durou 12 horas e 40 minutos. O grupo trabalhou junto à empresa Pulsar, terceirizada da Colt Aviation – ganhadora do processo licitatório, para agilizar o processo de recebimento da aeronave, que continua no Rio de Janeiro. “Acompanhamos a checagem dos motores, da fuselagem e dos equipamentos a bordo; também foram verificados todos os sistemas de segurança”, explica o Oficial de Operações do Esquadrão Corsário, Major Grei Santana Gonsalves, que fez parte da comitiva.

Novas capacidades - O novo Boeing vai retomar a capacidade de transporte aerologístico com grandes cargas e a longas distâncias. A aeronave pode transportar 257 pessoas, possui capacidade de carga de 38 toneladas, somando os dois porões, e volume de 115m3. Comparativamente, o 707 possuía cem lugares a menos e toda sua estrutura somava 100m3 de volume. Para realizar o trajeto entre Rio de Janeiro e Moscou, na Rússia, por exemplo, o Boeing 767 pode transportar até 23 toneladas de carga.

A partir de agora, a FAB poderá voltar a participar de missões que envolvam a necessidade de transporte de muitas pessoas, cargas pesadas e longas distâncias, como os treze voos entre Brasil e Turquia durante a Guerra do Líbano, em 2006, para repatriação de brasileiros. Ou, então, como a ajuda humanitária à Tailândia, após o tsunami de 2004.

Fonte: Agência Força Aérea, por Ten Raquel Sigaud



segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Tradicional Almoço da Aviação de Transporte Evento reúne integrantes de ontem e de hoje.


Base Aérea dos Afonsos sediou, na tarde dessa quinta-feira (08/06), o tradicional almoço da Aviação de Transporte.
O evento, realizado por ocasião do aniversário da Aviação de Transporte, comemorado no dia 12/06, tem por finalidade o congraçamento entre seus integrantes de ontem e de hoje. O almoço reuniu cerca de 400 pessoas e contou com a presença do Comandante-Geral de Operações Aéreas, Tenente-Brigadeiro do Ar Gerson Nogueira Machado de Oliveira, além de diversos Oficiais Generais da Aeronáutica, membros da Associação de Membros de Equipagens da Aviação de Transporte Aéreo (AMEAVITA) e militares pertencentes à Aviação de Transporte.
“Emociono-me toda vez que entro nesse santuário, o lendário Campo dos Afonsos, berço da Gloriosa Aviação de Transporte”, afirmou o Comandante da Quinta Força Aérea no período de julho de 2001 a março de 2003 e atual presidente da AMEAVITA, Major-Brigadeiro do Ar José Maria Custódio de Mendonça.

Um exemplo de solidariedade e profissionalismo



O 1°/ 1° GT, Esquadrão Gordo, realizou uma Evacuação Aeromédica no último dia 17, saindo de Punta Arenas, Chile. A missão ocorreu em aproveitamento ao 8° Voo em Apoio ao Programa Antártico Brasileiro.
Periodicamente, o Esquadrão Gordo realiza a tradicional Missão Antártica, na qual o C-130 Hércules do 1°/1° GT decola da Base Aérea do Galeão, com destino ao Continente gelado, fazendo escalas nas Cidades de Pelotas-RS e Punta Arenas, localizada na Região da Patagônia Chilena.
Esse voo poderia ser apenas mais um dentre tantos outros já realizados pelo Esquadrão Gordo, se não fosse por um capricho do destino, que uniu a vocação natural da Força Aérea Brasileira em servir ao seu país, com a necessidade emergencial de uma brasileira enferma em delicado estado de saúde na Cidade de Punta Arenas. Ela necessitava ser operada no Brasil, porém não tinha condições de custear uma remoção internacional por meio de UTI Aérea.
Assim, o Consulado do Brasil no Chile solicitou à Força Aérea Brasileira o transporte da paciente, a Sra. Marise Helena dos Santos, internada no Hospital Clínico .Magallanes. O transporte ocorreu com segurança e acompanhamento médico da equipe de UTI Aérea do Hospital de Força Aérea de Brasília (HFAB). No retorno ao Brasil, a paciente foi assistida por médicos e familiares na cidade de Guarulhos-SP, destino final do transporte da própria.

A missão reforça o alto grau de comprometimento, profissionalismo e dedicação de todos aqueles que envergam o gládio alado e elevam o nome da Força Aérea Brasileira.

28° Encontro dos Ofidios


O Primeiro Grupo de Transporte de Tropa realizou no dia 07 de Julho, o 28° Encontro dos Ofidios, evento este que realiza a integração e a confraternização dos integrantes do passado e do presente da Unidade.
         O evento foi presidido pelo Maj Brig Ar Vieira, Diretor da Diretoria de Material Aeronáutico e Bélico, e pelo Maj Brig Ar Custódio, Ex Comandante do 1° GTT. Estiveram também presentes o Brig Ar Mozart, Comandante da V FAE, o Brig Ar Pitrez, Comandante da II FAE, o Ten Cel Av Leonardo Guedes, Comandante da BAGL e pelo Ten Cel Av Ribeiro, Comandante do 1º GTT.
         Na ocasião foram homenageados os Destaques Profissionais do ano de 2016, SO BMA Ragone e S1 BMA Miranda, Destaque de Segurança de Vôo, SO BMA Otoniel, representado pelo SO BMA Alexandre, Destaques Operacionais do Comgar e os Ex Comandantes do 1° GTT, 1°/1° GTT Esquadrão Coral e do 2°/1° GTT Esquadrão Cascavel. O ápice do encontro foi a Cerimônia Militar onde foi demonstrado vibração, garbo e entusiasmo de seus integrantes e antes do tradicional cozido, todos se posicionaram para a célebre foto dos Ofídios, marco fundamental de todos os encontros.
         Mais uma vez os laços de amizade e companheirismo foram reforçados pelo reencontro dos ex-integrantes do esquadrão e pela troca de experiências.

TRANSPORTEX - Exercício Operacional encerra as atividades em Campo Grande (MS)




Terminou no sábado (04/06) a quinta edição do Exercício Operacional Transportex 2016 na Base Aérea de Campo Grande (BACG). Dezessete esquadrões da Força Aérea Brasileira (FAB) participaram do treinamento que visou o aprimoramento e a capacidade de pronto emprego das unidades aéreas subordinadas à Quinta Força Aérea (V FAE) e dos Esquadrões de Transporte Aéreo (ETA), adestrando-os em cenários táticos fictícios próprios da Aviação de Transporte.
Durante 14 dias foram treinadas decolagens táticas, navegações à baixa altura, formaturas táticas diurnas e noturnas com a utilização dos óculos de visão noturna (NVG), infiltração e exfiltração aérea e lançamentos de carga e material e Sherpa Pads (Precision Aerial Delivery). “O método Sherpa Pads permitiu que a carga fosse lançada a grande atitude, diminuindo assim a exposição da aeronave às ameaças do solo e por contar com um sistema integrado de navegação por GPS, seu lançamento se torna mais preciso”, conta o Tenente Aviador Arthur Corrêa do Esquadrão Onça (1°/15° GAV). As aeronaves C-130 Hércules e C-105 Amazonas atuaram nos exercícios simulados.



O destaque da edição deste ano foi a participação durante os exercícios da aviações de Caça, representada pelo Primeiro Grupo de Aviação de Caça (1° GAVCA); de Reconhecimento, com o Esquadrão Guardião (2°/6° GAV); de Busca e Salvamento, com o Esquadrão Pelicano (2°/10° GAV); e do Segundo Grupo de Defesa Antiaérea (2° GDAAE).


“Os treinamentos em conjunto com as aviações foram muito importante para a preparação dos militares. A troca de experiências durante o exercício agregou mais conhecimento para os militares e crescimento para Força Aérea. Concluo que fechamos mais uma edição da Transportex com a certeza de que o trabalho em equipe foi fundamental para o desenvolvimento das missões", conclui o Comandante da Quinta Força Aérea, Brigadeiro do Ar Mozart de Oliveira Farias.