quarta-feira, 12 de abril de 2017

FAB continua auxiliando vítimas da enchente no Peru



Após dez dias auxiliando as vítimas das enchentes no Peru, a aeronave C-130 Hércules do Esquadrão Gordo (1º/1º GT), retornou ao Brasil. A tripulação, composta por 16 militares, cumpriu mais de 60 horas de missões humanitárias de transporte de pessoas, água, mantimentos e medicamentos.



Na sexta-feira (31) à noite um C-130 do Esquadrão Cascavel (1º GTT) pousou em Lima transportando dez toneladas de barracas cedidas pela Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec).
No dia 1º de abril essa aeronave começou a ser empregada nas missões de transporte de pessoas e materiais no país andino. O efetivo, também de 16 militares, permanece no país até a presente data, já tendo voado mais de 69 horas e transportado mais de 196 toneladas de mantimentos em apoio às vítimas da enchente.







Entenda - Após fortes chuvas, que causaram deslizamentos de terra e alagamentos, foram registradas 97 mortes. Mais de 124 mil moradores do Peru foram atingidos pelas enchentes e 1.200 pessoas estão desabrigadas. A FAB intensifica o apoio em cidades mais atingidas pelos temporais, como Tumbes, Chiclayo e Trujillo.




Aniversário de 70 anos do Esquadrão RUMBA


1ºGTT e 1º/1º GT participam da busca de navio Sul-Coreano



Uma aeronave da Força Aérea Brasileira, o KC-130, foi disponibilizada para contribuir na busca do navio Sul-Coreano, Stellar Daisy, que desapareceu a cerca de 2,7 mil quilômetros da costa brasileira. Carregada com minério de ferro, a embarcação tinha zarpado do porto de Itaguaí (RJ) em 26 de março, com destino a Qingdao, na China. Por volta de 12h da última sexta-feira, já próximo às águas jurisdicionais uruguaias, mas ainda em águas internacionais, um tripulante pediu socorro, informando que estava entrando muita água no navio.
         Tripulantes do Primeiro Grupo de Transporte de Tropa (1° GTT) e do 1º/1º GT, participaram intensamente desta missão, que envolveu observadores especialistas em operações de busca e salvamento, tendo duração de mais de 30 horas de voo. 
 
Quatro navios mercantes que estavam próximos da área deslocaram-se para o local informado pelo tripulante que pediu socorro, mas o Stellar Daisy não foi avistado. Manchas de combustível indicaram que o navio tinha naufragado. Então, os dois tripulantes filipinos foram encontrados em um bote. Segundo a imprensa uruguaia, após serem resgatados, os dois membros da tripulação reiteraram a informação de que, apesar das condições tranquilas, uma grande quantidade de água do mar entrou no navio, o que suscitou a suspeita de que o casco da embarcação tenha sofrido algum dano antes do afundamento da embarcação.




 Em entrevista ao portal de notícias R7, o Chefe da Seção de Operações do 1ºGTT, Maj Av Bruno Rocha, descreve momentos dessa missão de busca e salvamento. Entrevista